História da RCC

HISTORIOGRAFIA DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

  1. POR DIOCESE

A RCCRJ teve início na Arquidiocese do Rio de Janeiro e rapidamente se expandiu para todo o Regional Leste 01 (Estado do RJ)…

Em fevereiro de 1972 a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro recebeu a Irmã Trindade Campos e o Padre Haroldo Hahm, que vieram ministrar a primeira Experiência de Oração, no chamado “Cenáculo”, no bairro de Laranjeiras, marcando assim o início da RCCRJ. Em setembro do mesmo ano, Pe.Eduardo  Dougherty e Pe.Jonas Abib ministraram aqui um Aprofundamento, onde as pessoas receberam a graça do Batismo no Espírito Santo, identidade do movimento. Aqui no Rio, Adelcy Rocha organizava estas “Experiências de Oração” e aprofundamentos mensalmente, com cerca de 180 participantes por vez, apoiando Pe. Haroldo, Pe. Sales, Pe. Alírio e Pe. Eduardo com a equipe que coordenava. Adelcy organizou por muitos anos estes retiros que incluíam jovens, crianças e adultos.

Quase ao final de 1972, em novembro, surgiu o primeiro Grupo de Oração na Arquidiocese, e também no Estado: Grupo de Oração Água Viva, no bairro do Meier, no Colégio Coração de Maria. Em março de 1973 o grupo foi para a Basílica Imaculado Coração de Maria, onde se situa até hoje e completa em 2019 seus 47 anos de louvor, louvor e louvor…

Em casa de Adelcy Rocha, no bairro de Botafogo, surgiu o grupo “Pequena Betânia”, em 1973. Era o primeiro grupo da Zona Sul da cidade; em 1974 o Grupo de Oração Alabaré, em Cascadura; em 1975 em diversos locais da cidade despontaram outros Grupos de Oração, ocasionando um crescimento rápido da RCC em toda cidade do Rio de Janeiro.

De 1976 a 1979 foram surgindo inúmeros Grupos de Oração. Hoje a Arquidiocese do Rio de Janeiro conta com mais de 300 grupos de oração espalhados pelos seus 8 Vicariatos Episcopais.

Desde 1980, a RCC foi inserida oficialmente na organização de Igreja local (Arquidiocese do Rio de Janeiro), de acordo com orientações pastorais dadas pelo então Cardeal Arcebispo Dom Eugênio de Araújo Sales.

Em 1981, por incentivo do Pe. Eduardo Dougherty, organizou-se o primeiro Retiro Espiritual de Carnaval – o Rio de Água Viva. Aconteceu na Igreja Maronita de Nossa Senhora do Líbano, no bairro da Tijuca, sob a coordenação de Helena Rios Machado, uma importante líder do movimento. No mesmo lugar aconteceu o Retiro também no Carnaval de 1982. Em 1983, o Retiro aconteceu na Igreja Nossa Senhora de Copacabana. Em 1984 aconteceu no auditório da Faculdade Silva e Souza, no bairro de Ramos. Nos anos de 1985 e 1986 os Encontros anuais aconteceram no auditório do Colégio Marista São José, na Tijuca, e de 1987 a 1990 o Retiro Rio de Água Viva foi realizado no Colégio N. S. da Piedade, no Largo do Encantado, animados pelo Conjunto Agnus Dei e com as presenças de Pe. Eduardo, as irmãs e Tia Laura. Muitas graças e bênçãos, ensinos valiosos, curas espirituais, libertações e conversões aconteceram na cidade. Sacerdotes atenderam confissões e participaram nas celebrações, numa unidade fraterna. Cresceu o número de fiéis: 2.000 em 1987, para 4.200 pessoas em 1990. Após uma audiência de Pe. Eduardo Dougherty com o Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, em 1991, passou-se a realizar o Retiro Rio de Água Viva no Maracanãzinho. Ali o Retiro chegou a ter a participação de 22 mil pessoas.

E na Diocese de Campos dos Goycatazes?

Em 1972, o Dr. Sadi Bogado e sua esposa, Sra. Selma Bogado, após terem participado de alguns Encontros em Campinas/SP, deram início às primeiras reuniões de oração que aconteciam na Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, sob a direção e orientação do Pe. Fernando Guimarães. Em 1973 fundaram-se os dois primeiros Grupos de Oração da Diocese: um encontrava-se no Convento Redentorista aos sábados às 20h e outro no Colégio Auxiliadora, às terças-feiras às 20h.

Impulsionada pelo sopro do Espírito Santo a RCC cresceu em toda a Diocese de Campos. Sempre orientada e direcionada por sacerdotes que a apoiaram e inseriram cada vez mais no seio da Igreja. Vale lembrar a fundamental importância dos retiros havidos na Casa de Oração do Carmo e mais tarde a implantação das Escolas Paulo Apóstolo.

Como frutos de vida e renovação em comum, começaram a surgir algumas Comunidades de Vida e de Aliança: Chama da Amor (na cidade de Itaperuna, em 1984), Projeto de Paz (na cidade de Campos, e, 1996), dentre outras.

Deus agiu na Diocese de Duque de Caxias e São João de Meriti

Em 1979 os irmãos José Carlos Mariano e Maria do Rosário, ao participarem de um Encontro do Movimento em São Paulo, tiveram o conhecimento de que havia Grupos de Oração na Arquidiocese do Rio de Janeiro. Conversaram com a Irmã Maria José Marinho e convidaram-na para acompanha-los até o Grupo de Oração Alegria I, em Laranjeiras, para participar do “Cenáculo” e do Seminário de Vida no Espírito Santo.

Em 1981, após terem participado de várias formações no “Cenáculo”, em Laranjeiras, sentiram a necessidade de levar o Movimento para a Baixada Fluminense, pelo que apresentaram-no ao Pe. Galdino e pediram autorização para iniciarem um Grupo de Oração na Comunidade Sagrada Família. Ficaram responsáveis pelo Grupo: José Carlos Mariano, Maria do Rosário, Maria José e Odete, com a ajuda da coordenação estadual que já se havia organizado.

Naquele mesmo ano aconteceu o primeiro Seminário de Vida no Espírito e a primeira Experiência de Oração na Diocese. Nesta mesma época, a Irmã Nilza organizava um Grupo de Oração chamado Discípulos de Emaús que, após intercâmbio com a RCC, a esta passou a integrar.

Em 1982 José Carlos Mariano participou de um Encontro em Brasília, onde conheceu os líderes Sebastião Bernardino e Taciano, que o ajudaram nas formações de núcleos e ministérios e lhe deram orientações gerais. Contaram também com as preciosas ajudas de Dom Cipriano Chagas, da Comunidade Emanuel, do Pe. Eduardo Dougherty, do Pe. Jonas Abib, da tia Laura, do Frei Inocêncio e especialmente, do Pe. Agostinho do Monastério, que foi por um bom tempo orientador espiritual da RCC Duque de Caxias e São João de Meriti.

De grande importância também foram o senhor João Evangelista e dona Marlene, que foram grandes missionários da RCC em São João de Meriti, formando o primeiro Grupo de Oração naquela cidade: o GO Esplendor Cristão. A partir dele, muitos outros Grupos de Oração surgiram, a partir de 1993.

Formou-se então a primeira coordenação diocesana composta por José Carlos Mariano, Cleonice, João Evangelista, Paulinho, Valmir, Esmeralda, Maria do Rosário e Marlene. E a RCC Duque de Caxias e São João de Meriti continua crescendo em graça e em tamanho para a glória de Deus…

A RCC na Diocese de Nova Iguaçu

O Movimento em Nova Iguaçu iniciou-se em 13/08/1977, na Paróquia Santa Rita de Cássia, com a Irmã Maristela da Congregação das Irmãs da Caridade de Santa Cruz.

A Irmã Maristela iniciou o primeiro Grupo de Oração participando de um Seminário de Vida no Espírito Santo no Alto da Boa Vista (Arquidiocese do Rio de Janeiro), sendo a efusão do Espírito ministrada por Dom Cipriano Chagas. O primeiro Grupo de Oração chama-se “Grupo de Oração Espírito Santo”.

E na Arquidiocese de Niterói?

O primeiro Grupo de Oração da Arquidiocese de Niterói recebeu o nome de Metanoia, nos idos de 1973, e era formado por fieis que frequentavam a Paróquia do Santuário das Almas. O mesmo grupo de pessoas fundou o Grupo de Oração Abba Pai I, na Catedral de São João Batista e daí por diante surgiram grupos de oração na Região dos Lagos, notadamente em Cabo Frio e em Arraial do Cabo, atraindo numerosas pessoas das quais surgiram boas lideranças: José do Valle, Nilza Barreto Netto, dentre outros.

Em 1983 eram aproximadamente 20 Grupos de Oração em toda a Arquidiocese, sob a orientação e liderança espiritual do atual Monsenhor José Geraldo da Silva e do Missionário Pe. José Turkemburg. Neste ano, o então Arcebispo Dom José Gonçalves da Costa designou o leigo Reginaldo Barros Neto para ser o representante da RCC Arquidiocesana no Conselho da RCC do Regional Leste 01.

Os Grupos de Oração cresciam na Arquidiocese, chegando ao número de 140, com maciça participação em Encontros Estaduais, Nacionais e mesmo Internacionais da RCC. A partir de 2005, a Arquidiocese começou a realizar seus Retiros Arquidiocesanos de Carnaval, dando maior unidade aos 7 vicariatos episcopais existentes na Arquidiocese.

O Espírito agiu também na Diocese de Valença

Em 1978 surgia o primeiro Grupo de Oração da Diocese de Valença, através das pessoas do Sr. Milton José da Fraga, Clara Myrra da Fraga (a querida Tia Lola, ainda viva), Maria Eduarda Barbosa, Teresa Vasquez, Leda, Lenira, Ivone Myrra Lopes, Maria José Myrra Ribeiro, Rui Myrra Ribeiro, Djalma Vaz e José Elias. As reuniões do Grupo de Oração aconteceram nas casas durante dois anos.

Em 1980, com autorização do então Bispo Diocesano, Dom Amauri Castanho, o grupo passou a se reunir na Capela de Santa Luzia, dando origem ao Grupo de Oração Santa Luzia.

Já em 1982, as reuniões passaram a acontecer na Ação Social Valenciana (Irmã Albina), pertencente à Mitra Diocesana. Em 1991, devido ao grande número de fieis, as reuniões de oração passaram a acontecer na Igreja de Nossa Senhora do Rosário.

Em 1993, com a chegada do novo Bispo Diocesano, Dom Elias Manning, foi eleita a primeira coordenação diocesana da RCC Valença: a Sra. Maria José Leal. A partir daí foram surgindo novos Grupos de Oração em toda a Diocese.

O que Deus está fazendo na Diocese de Barra do Piraí e Volta Redonda:

Em 1973 o Sr. Levy Eustáquio Caldeira foi convidado a fazer uma Experiência de Oração na cidade do Rio de Janeiro e retornou outras vezes para outros Encontros, fazendo amizade com o Pe. Haroldo, Pe. Alírio e Irmã Lang.

Em 1974 iniciou-se o Grupo de Oração Virgem Maria, no Colégio Nossa Senhora do Amparo, na cidade de Barra Mansa. Neste mesmo período iniciava-se o Grupo de Oração São João, na cidade de Volta Redonda.

Já em 1978 um grupo de seis pessoas participou de uma Experiência de Oração na cidade paulista de Lorena e resolveram fundar um Grupo de Oração na cidade de Barra do Piraí, o Grupo de Oração Shalom, com reuniões acontecendo nas casas do Sr. Belmiro e Sra Lourdes Barbosa.

A partir daí inúmeros Grupos de Oração surgiram em toda a Diocese, merecendo destaque os Encontros de Carnaval Rebanhões em Resende, a Primeira Missa nos Rebanhões de Carnaval, a acolhida de Dom João Maria ao Movimento, orientando que todos os Grupos de Oração tivessem suas reuniões nas Igrejas.

A história da RCC na Diocese de Nova Friburgo

Em 1976 a RCC chega à Diocese de Nova Friburgo. O primeiro Grupo de Oração “Grupo de Oração Êxodo 3,5” funcionou no início na Capela da Faculdade de Filosofia Santa Doroteia, pelo esforço da Irmã Dorotéia Maria da Conceição e do Pe. Ramon. A Irmã Dorotéia foi transferida de colégio, mas os frequentadores do Grupo perseveraram e este enchia mais a cada dia.

Em 1986 o casal Waldir e Eny foram morar em Nova Friburgo e assumiram a coordenação daquele Grupo de Oração, aperfeiçoando as características próprias da RCC.

Logo a RCC se difundiu para os outros municípios da Diocese. Em 1986 o Pe. Antônio Aldo Coelho, da Paróquia Nossa Senhora da Piedade, em Cordeiro, ao final da Missa do dia 08 de março, apresentou a Irmã Francisca Nogueira Soares, vinda de Cuiabá para ficar na Diocese até 30 de abril de 1988. Neste curto espaço de tempo, Irmã Francisca muito colaborou para a perseverança e difusão da RCC pela Diocese.

No início, a pregação da Palavra de Deus era feita através de uma fita cassete com o Pe. Jonas Abib e havia muita alegria e descontração. Seminários de Vida no Espírito e Experiências de Oração foram acontecendo, os carismas foram sendo numerosos e a graça de Pentecostes foi se expandindo.

Somente em abril de 2007 o Conselho Diocesano e, consequentemente, a coordenação diocesana foram implantados.

Deus também agiu na Diocese de Petrópolis…

A RCC em Petrópolis começou em março/1976, inicialmente na Catedral de São Pedro de Alcântara, onde a Sra. Laurinda Rosa Lourenço reunia-se com algumas pessoas acompanhada do Monsenhor Paulo Dahier. Tempos mais tarde, chegaca à cidade imperial o Frei Filipinho, que já tinha conhecido a Renovação há certo tempo.

A partir deste primeiro Grupo de Oração, até hoje existente, foram surgindo muitos outros Grupos de Oração em todo o território da Diocese. No final de 2006, após uma oração na reunião do clero, o então Bispo Diocesano, Dom Filipo Santoro, apoiado pelo Monsenhor Paulo Dahier, deu à RCC a oportunidade de apresentar o trabalho desempenhado na Diocese, o que contribuiu imensamente para a difusão da RCC por toda a Diocese.

O Espírito agiu também na Diocese de Itaguaí

A RCC chegou em Itaguaí em 1980, através dos casais Fabiano Benze e Edijane, e Averaldo Fralzino e Rerina, que haviam participado de atividades promovidas pela RCC na Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Em 1986 aconteceu a primeira Experiência de Oração Diocesana, na Comunidade de Praia Brava, no bairro do Perequê, em Angra dos Reis. Esta Experiência de Oração foi ministrada por uma equipe oriunda de Piquete, no Interior Paulista. A partir daí, o então Bispo Diocesano, Dom Vital, concedeu sua permissão para a continuidade das reuniões de oração.

Em 1988 surgiram mais alguns Grupos de Oração, que ficavam sob a orientação espiritual do Pe. Antônio Carlos e contava com o apoio do Pe. João Diniz. Eventos como o “Lançando as Redes”, “RENASEM”, Retiros de Carnaval e Encontros de Formação marcaram a história da RCC da Diocese de Itaguaí e continuam impulsionando a RCC para a frente.

  1. A HISTÓRIA DO CONSELHO ESTADUAL DA RCCRJ…

Em 24 de setembro de 1981 teve início um Encontro ministrado por Pe. Eduardo Dougherty, que contava com a presença de lideranças de algumas da Dioceses do Regional Leste 01 (Estado do RJ). Naquele Encontro, o Senhor deu a seguinte Palavra:

“Prestai toda a atenção no que vai acontecer a partir deste dia, a partir do vigésimo quarto dia do nono mês, dia em que foram lançadas as pedras de fundamento da casa do Senhor. Prestai toda atenção! Vede se o grão falta ainda nos celeiros, se a vinha, a figueira, a romãzeira e a oliveira continuam improdutivas… porque a partir deste dia derramarei a minha benção.” (Ageu 2,18-19)

A partir daí, com o acompanhamento e orientação do Pe. Eduardo, foram acontecendo formações, encontros para lideranças, dando-se início à equipe Estadual Leste 01. Este grupo passou a se reunir inicialmente duas vezes por ano, sempre ao começo do ano e após o Congresso Nacional da RCC (julho).

Encontros de formação para todo o Estado eram realizados no Alto da Boa Vista (Priorato de São Bento) com os responsáveis pela RCC das Dioceses e cidades, com Pe. Eduardo Dougherty, Pe. Jack, Irmãs Nelly, Luiza e Cecília.

Em 1985, na presença de Pe. Eduardo, Pe. José Turkemburger e Pe. José Rodriguez Alvarez, foi constituído o Conselho Estadual da RCCRJ com a elaboração do primeiro Estatuto para melhor administrar os processos de evangelização. Inicialmente contou com Pe. Eduardo como orientador, Maria Lucia Vianna como secretária, Helena Rios, Reginaldo Barros e Antônio Silva como Conselheiros.

Já em 1989, com a orientação de Pe. Eduardo, procedeu-se a uma eleição, tendo sido eleita coordenadora estadual Maria Lúcia Vianna, Helena Rios como secretária, Reginaldo como tesoureiro e Antônio Silva como segundo secretário. Trabalharam por dois mandatos de 3 anos cada um.

Em 1995 foi eleita coordenadora estadual Helena Lopez Rios Machado, tendo permanecido nesta missão até 2001, por dois mandatos. Com a alteração no Estatuto da RCCBRASIL no tocante ao mandato da Presidência, a equipe da Helena foi reconduzida por mais três anos para adequar-se à alteração nacional.

Já em dezembro/2004 foi eleito Ricardo Emílio para um mandato de 4 anos, que se encerrou em dezembro/2008, tendo sido eleito João Paulo Gouvêa para o novo mandato de 2 anos. Em 2010, novamente Ricardo Emílio foi eleito e reeleito em 2012, findando seu mandato em dezembro/2014. Neste mesmo mês, foi eleito e reeleito em 2016 Vinícius Simões, cujo mandato se encerra em dezembro/2018.

  1. DUAS IMPORTANTES LIDERANÇAS DA RCC DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

“Quando penso na RCCRJ, tenho que pensar em Helena Rios e em Maria Lucia Vianna que está no céu orando por nós. Quando penso em Rio de Janeiro, penso no carisma de formação que esse Estado tem. Foi uma longa caminhada e foi necessária muita perseverança.

Helena e Maria Lúcia acreditaram naquilo que Deus trazia de novo para a RCC. Eu fui inspirado a iniciar esse trabalho de formação com o Rio de Janeiro e vi em Helena Rios todo o carisma para levar à frente esse trabalho.

A RCCRJ é uma grande bênção pelo ministério e dedicação de Helena Rios e Maria Lúcia Vianna. Louvado seja Deus, pois Ele faz em nós maravilhas, e fez pela Helena e pela Maria Lúcia! E lógico, por muitos outros servos. Que bênção são estas servas do Senhor.” (Pe. Eduardo Dougherty, sj)