O Encontro Estadual de Formação da RCCRJ 2016 já começou. Carismáticos de todas as 10 dioceses do estado se reúnem neste final de semana (9 e 10), na Casa de Retiros São Francisco de Sales, na cidade do Rio de Janeiro, para receber formação e voltarem reabastecidos da graça de Deus para os seus grupos de oração. O EEF teve início com o terço ao Santo Espírito, seguido de um profundo momento de oração e de escuta profética.

A primeira pregação foi feita por Vinícius Simões, presidente do Conselho Estadual da RCCRJ. O coordenador aprofundou a misericórdia do Pai; e utilizando a Palavra de Deus, documentos da Igreja e a experiência de santos como o Papa João Paulo II, Santo Agostinho e Santa Faustina. Logo no início da colocação, Vinícius proclamou: a misericórdia do Pai tem um nome: Jesus de Nazaret.

“Em Jesus a misericórdia de Deus se tornou visível, palpável, pois Ele é a personificação da misericórdia de Deus. ‘Jesus é a encarnação e a personificação da misericórdia do Pai’, conforme nos apresentou o Papa João Paulo II”. Por meio de um testemunho, Simões demonstrou que Jesus não pode lançar fora nenhum daqueles que o Pai o entregou. ‘Ao contrário, Jesus não polpa esforços para ir às sarjetas da nossa alma, aos lugares mais obscuros do nosso coração, para nos resgatar. Portanto, o homem deve se voltar para essa misericórdia, para Jesus”, exortou.

Vinícius lembrou que os sinais, curas e milagres operados por Jesus Cristo, ainda nos dias de hoje, são uma forma do Pai revelar seu amor pela humanidade. Durante a pregação, ele lembrou algumas características da misericórdia. “Ela é concreta, não abstrata, não é um conto com palavras bonitas. Ela é eterna, conforme exclama o salmista: ‘louvai ao Senhor por que ele é bom e por que eterna é a sua misericórdia’. Ela ultrapassa todos os limites, o tempo e o espaço, os planos terreno e espiritual”, disse.

Outra característica da misericórdia de Deus, apresentada por Vinícius, é que ela se manifesta atenta. “Mesmo que seu sofrimento seja grande, nada passa despercebido aos olhos do Senhor. Ele provou isso e tem provado desde sempre. Não deixe que seu problema seja o Senhor de sua vida”, exortou.

A quarta característica é que Deus não se cansa de perdoar. Vinícius aproveitou para exortar os líderes do Movimento que, segundo ele, muito têm pregado sobre o sacramento da reconciliação, mas não têm se colocado à fila para confessar seus pecados.

“Quantas vezes cometemos nossos crimes, nossas ‘canalhices’; damos guarita ao inimigo de Deus, nos ’emprestamos a satanás'”, questionou o coordenador. “Mesmo assim , o amor e a misericórdia de Deus não conhece limites; não se pode limitar o amor de Deus, como no episódio bíblico conhecido como o ‘perdão do bom ladrão'”, concluiu Vinícius, pontuando as duas últimas características da misericórdia de Deus: fidelidade e ilimitação.

Concluindo sua colocação, o coordenador estadual falou que o que nos aproxima do Pai é o arrependimento sincero. “Arrepender-se significa mudar de vida. Quando o nosso arrependimento encontra a misericórdia de Deus, há um casamento perfeito, um encontro de duas liberdades, que resulta em amor”, concluiu.

Para finalizar a pregação, Vinícius deixou uma exortação: “A Renovação Carismática Católica está sendo acediada neste tempo por diversos lobos, inclusive travestidos de santos e misericordiosos. Precisamos exercer plenamente a misericórdia de Deus. Como nos exorta o Papa Francisco na Bula de Proclamação do Ano Santo da Misericórdia – Misericordiae vultus, cada cristão precisa ser um oasis de misericórdia”, finalizou.