Abrindo a temporada de congressos diocesanos no nosso estado, a arquidiocese do Rio de Janeiro realizou nos dias 24 e 25 de maio o seu Congresso Arquidiocesano. Com uma grande adesão dos membros dos grupos de oração espalhados pela cidade, o fim de semana foi marcado por um grande mover do Espírito, tendo como tema “Conservar a unidade pelo vínculo da paz (Ef. 4,3).” No sábado (24), o congresso teve pregações de Vinícius Simões e Ricardo Emílio, que enfatizaram a importância da unidade entre os membros do nosso movimento e do próprio movimento com a Igreja.

Encerrando o dia, com a Santa Missa presidida pelo Padre Antonio José, o celebrante enfatizou as três características da pessoa moldada pelo Espírito Santo: sensibilidade à voz de Cristo; alegria ao servir e consciência de que o servo não é maior que o seu Senhor. “Às vezes, para começarmos a andar na direção certa temos que parar e silenciar a agitação, porque não é na agitação que as coisas acontecem. A misericórdia divina impede que nos atropelemos pelo caminho”, ressaltou o padre.

Outro ponto enfatizado pelo sacerdote, é que todos têm direito de ter a alegria que vem de Deus, pois Jesus carregou sobre Si o peso de nossos pecados e dores. “Mesmo dando tudo errado, no final vai dar certo, porque Jesus nos deu a vida eterna. O cristão tem que aprender a apanhar em silêncio por estar fazendo a coisa certa, pois o grande propósito da vida do servo é assemelhar-se ao seu Senhor. Mais significativo é se referir a Jesus como mestre, porque mestre é alguém que ensina a ser do jeito que é. A grande meta de nossas vidas tem que ser se parecer com Jesus em tudo, inclusive, nas perseguições”, finalizou ele.

No segundo e último dia de congresso, sob o tema “consumir-se pela unidade”, Kátia Zavaris, Presidente da RCC nacional, lembrou da visita do Papa Francisco à Terra Santa. “Sua atitude é de unidade e um sinal da vontade divina. Precisamos nos esforçar pela unidade, porém devemos em primeiro lugar, nos unir a Cristo, motivo de nossa fé. Ele está em nós, mas nós precisamos estar nele”, enfatizou.

Segundo Kátia, não podemos dar brechas para o inimigo de Deus agir, sendo assim, precisamos sempre aparar as arestas, buscar a santidade de todo coração pois “ Sem santidade não haverá unidade”. Mais do que amar o movimento, Kátia nos recordou que também precisamos amar a Igreja. “O dia a dia da missão é difícil, a nossa fé em Deus é que nos dá força. Nós devemos amar a Igreja independente do que aconteça. Temos de estar em obediência respeitando todas as moções que nos são dadas. Estamos cuidando de almas, por isso temos de estar sempre em oração”, disse em sua pregação.

Ela alertou, que levemos Cristo aos irmãos e que precisamos assumir o senhorio de Jesus em nossas vidas : “Tem um mundo para ser evangelizado através do seu grupo de oração. Jesus tem que ser o Senhor da sua vida. As pessoas têm que ler Jesus no seu grupo de oração. Cuidado com os interditos (entraves) como a falta de perdão entre servos do grupo, que não se falam. É importante pedir perdão, mesmo que o outro não aceite”, finalizou.

O presidente Arquidiocesano da Renovação Carismática Católica, Almir Berlamino deu os direcionamentos do Movimento para todos os Grupos de Oração. Durante a sua fala, Almir disse que precisamos ser melhores a cada dia. “Devamos fazer o melhor sem querer ser o melhor. Tomando cuidado com o exibicionismo espiritual. Ser eficaz. O zelo é o amor é a vontade em ação. Carismático não pode ser fechado e sim alegre. Você está lidando com pessoas. Além de amar Jesus, precisamos amar também a RCC. Momento decisivo de conversão e santidade. A RCC é uma obra do Espírito Santo. Nós somos um movimento do Espírito Santo uma estratégia de Deus para os tempos atuais”, disse o coordenador.

Para ele: “A verdade é que Deus confia em cada u de nós para sermos RCC. Nós somos uma família, competição não cabe no nosso meio. Foi citado epístola de Tiago 3;3 e todos leram juntos. A sabedoria de Deus é que vivamos com amor. Servir ao Senhor é um ato de gratidão. Ser RCC é assumir uma vocação. O momento de oração pessoal é essencial”, afirmou.

Almir convocou toda assembléia a renovar o seu compromisso com JESUS clamando por um NOVO PENTECOSTES dizendo: “ Se creres, verás a glória de Deus” ( Jo 11,40). Logo em seguida, apresentou todo o Conselho Arquidiocesano (CARC) com todos os coordenadores vicariais e de ministérios. O Congresso foi fim de semana em que se viu o agir de Deus em cada vida, que retornou para casa com a chama do Espírito Santo acesa, pronta a espalhada por todos os lugares.

 

Por Ana Karenina e Sandro Souza Alves