Ao Dr. Philippe Madre

Philippe Madre é médico psiquiatra. Mora na França onde, há 25 anos, faz parte da Comunidade das Beatitudes (bem-aventuranças), uma comunidade católica que acolhe todos os estados de vida que se consagram no seguimento de Cristo; é uma comunidade que cresceu muito depressa, possui 1800 membros espalhados em muitas residências em todos os continentes do mundo. É também responsável pela obra Mãe da Misericórdia, que tem como meta auxiliar às jovens que cogitam sobre o aborto, para ajudá-las a escolher a vida; também oferece ajuda, em muitos países do mundo, às crianças que são maltratadas e às jovens que se submetem à prostituição.
Esteve em Fortaleza no mês de março, para pregar no Congresso de Cura e Aconselhamento, e aproveitamos a ocasião para entrevistá-lo.

Como o senhor vê o ministério de cura?

Philippe Madre: Pessoalmente, eu viajo muito pelo mundo num ministério de ensino e pregação da misericórdia de Deus e é verdade que o Senhor dá muitos frutos a este ensino, a esta pregação, por sinais de cura, muitas vezes surpreendentes, cura do coração, da alma, curas físicas, curas milagrosas porque o Espírito Santo age também hoje, tão fortemente quanto há dois mil anos.

A cura do corpo e da alma é algo de muito importante para o mundo de hoje e já era importante para Jesus. Há dois mil anos, anuncia-se a boa nova operando sinais e prodígios. Nós vivemos numa época muito atormentada. O homem está bem doente, seja em seu psiquismo, seja em seu coração, seja em sua própria vida – ele não encontra mais sentido para a vida.

Alguns, por causa dessa doença em sua vida e existência, procuram muitas formas de cura, de sentido para a vida que são mais ídolos que propriamente a Verdade. É por isso que para a Igreja Católica hoje a Evangelização é tão importante. E ela se acompanha sempre de curas físicas, psicológicas ou espirituais, porque estas curas primeiramente confirmam a verdade daquilo que é anunciado, a verdade de Jesus que morreu, ressuscitou e está vivo hoje, para cada um de nós.

O que a cura produz?

Philippe Madre: A cura transforma o coração. Pode-se dizer que as curas não servem apenas para funcionar como sinal, como agentes do espetáculo cristão, mas elas têm em si mesmas um poder de transformação do coração do homem, da vida do homem e elas lhe ensinam que ele é chamado à felicidade, não à tristeza, à angústia, à infelicidade. Eis por que não se pode hesitar em invocar o Espírito de Cristo ressuscitado, porque, a cada vez que se ensina a verdade cristã, Ele lá está e se produzem normalmente sinais de cura, de libertação dos corações.

Qual o papel da cura na Igreja?

Philippe Madre: Eu creio que é preciso destacar a importância da cura na Igreja de hoje para a Evangelização. Especialmente para fazer compreender a todos os homens e mulheres de nosso tempo que nosso Deus é um Deus de misericórdia. Jesus veio nos revelar que Deus não é um ser impessoal, mas é um Pai. É um Pai que toma conta de seus filhos. É verdade que Jesus não veio curar todo mundo. Ele veio para encontrar cada homem, tanto há dois mil anos como hoje. Jesus ama muito providenciar curas entre os cristãos e mesmo entre não cristãos. Para Ele, é uma maneira de nos mostrar que temos todos um Pai de misericórdia, mesmo os maiores pecadores, mesmo os mais distantes de Deus. Todos têm um Pai que quer doar-lhes a vida.

Eu me lembro bem de uma pessoa que foi curada diante dos meus olhos. Ela tinha uma paralisia de corpo inteiro, a partir do pescoço até os pés, fazia já catorze anos. Ela foi curada miraculosamente por uma prece de cura em nome de Jesus. Em menos de um minuto ela podia andar, podia dançar. Depois ela testemunhou que o mais importante para ela não foi a cura física, mas a descoberta de que Deus a amava como uma filha. Esta descoberta transformou sua vida em alegria.

Quem, realmente, necessita de cura?

Philippe Madre: A cura que Jesus traz a alguém nos lembra que todos temos necessidade de cura. Não necessariamente cura do corpo ou da alma, porque pode ser que tenhamos saúde, mas há uma cura de que todos temos necessidade, que é aquela de poder encontrar Jesus vivo! Atualmente, há muitos doentes neste mundo. Eles estão doentes porque não conhecem Jesus ou porque alguém lhes propõe falsas imagens de Jesus. Elas são como ídolos a quem se dá o nome de Jesus, mas que não são Jesus. Então, essa cura que todos precisam pedir é a de poder encontrar o verdadeiro Jesus, aquele que nos mostra que temos um Pai que nos ama e que nos dá a cada instante a vida em nossa existência.

Nosso coração é ferido. Nosso coração não conhece suficientemente a Deus. É verdade que temos o desejo de crer. Mas o desejo de crer em Jesus nem sempre é bastante. É preciso desejar crer em Jesus, mas é preciso aprender a conhecê-lo. E Jesus é a ressurreição e a vida, como diz o apóstolo João. Não sabemos sempre escolher a vida. Muitas vezes, escolhemos a morte sem saber. Mesmo se continuamos a viver normalmente nossa vida de cristão, às vezes, escolhemos a morte. Isso acontece sempre que nós escolhemos não abrir as portas do nosso coração a Jesus. E por que nós escolhemos fechar as portas do coração a Jesus? Porque há uma grande ferida em nosso coração. Esta ferida é a ferida do medo de Deus. Freqüentemente temos medo de Deus no mais profundo do nosso coração. E Deus entende isso. É por isso que Ele nos presenteia sua misericórdia. A misericórdia de Deus é o coração de Deus que toma nossas misérias para colocá-las dentro dele, dentro de seu coração. E é esta misericórdia que nos cura de nosso medo de Deus. Muitas vezes temos medo de Deus porque em nossa consciência, memória, temos eventos de nossa vida que nos fizeram mal, temos remorso, vivemos coisas que não queremos trazer para a luz, vivemos coisas que não nos deixam em paz. Temos em nosso coração revolta, amarguras e tudo isso faz com que, profundamente, tenhamos medo de Deus. Mas Deus, que é nosso Pai, é um Deus de misericórdia e Ele supera todas as misérias que estão sobre nós para vir habitar em nós, por nos amar. Você abre sua ferida profunda à presença de Deus, ao amor de Deus? A este amor que é misericórdia? Se você abre esta ferida, se você a dá para Deus, você saboreará esta misericórdia, e você escolherá a vida, viverá mais e mais no amor de teu Deus e você será feliz e perdoado.