Projeto: PREGADOR: pedra preciosa nas mãos do Senhor!

INTRODUÇÃO

Entrai de novo no Cenáculo!”

Que minha Palavra brilhe em vocês e por isso também nos outros.”
(Profecia dada ao MP RCCRJ)

Este é o desejo do Senhor, neste tempo, para a RCCRJ: que voltemos ao Cenáculo! Mais ainda, que de lá não saiamos!

O presente projeto visa,antes de tudo,fazer esta vontade do Senhor: estarmos no Cenáculo e lá,cheios do Espírito,anunciarmos a Palavra de Deus com a mesma parresia de Pedro naquele evento de Pentecostes.Sermos os diamantes lapidados para irradiar a luz e a beleza da Palavra que move nossas vidas,que move nossa caminhada.

Com uma reflexão espiritual, queremos desenvolver este projeto com quatro atitudes:

1 – O GARIMPO – CHAMADO E AUTOCONHECIMENTO

Para que encontremos pedras preciosas é preciso garimpar. Nesta primeira fase do projeto objetivamos encontrar novos pregadores, despertar os irmãos com carisma adormecido e acompanhar de perto os que já exercem o ministério há algum tempo.

  1. Fazer uma análise, em cada grupo de oração, se há servos que ainda não pregam e possuem chamado a este ministério;

  2. Detectar se há servos que já pregaram e atualmente não pregam mais.Refletir sobre os motivos que o levaram a não pregar mais.Acolher,amar,trazê-lo de volta,quando não houver nenhum impedimento e ,conforme o discernimento do núcleo do grupo de oração,convidá-lo a pregar novamente;

  3. Analisar em que momento a formação do pregador está deficitária ou foi interrompida;

  4. Preparar listagens relatando este acompanhamento para oferecer a formação necessária para cada realidade.

2 – A LAPIDAÇÃO – FORMAÇÃO, REFLEXÃO, ESTUDO

A definição de lapidação é uma técnica para modelar um material, geralmente, uma pedra preciosa, mas também se aplica a metais e outros materiais. A lapidação de Deus tem um propósito: nossa maturidade!

A formação é uma forma de lapidação do pregador.

2.1 – APLICABILIDADE DO MATERIAL DE FORMAÇÃO ESPECÍFICO DO MINISTÉRIO

  • Para participar das formações específicas de ministérios, é preciso antes passar pela formação do Módulo Querigma (SVE, Experiência de Oração e Aprofundamento de Dons) e Módulo Básico de Formação (Escola Nacional de Formação – as 11 apostilas);

  • O participante deve ter assiduidade nas formações e assisti-las integralmente.

Para a Formação específica do MP:

  • Se Formação Mensal, em dia de semana, com encontros de 2 horas:

Apostila 1 – O Ministério, O Pregador e a Pregação no Grupo de Oração

1º Encontro: O Ministério

2º Encontro: O Pilar do Ministério de Pregação

3º Encontro: Chamado

4º Encontro: Personalidade a Serviço /Estilos de Pregação

5º Encontro: A Oração Pessoal na Vida do Pregador

6º Encontro: Pregação Querigmática – O Anúncio da Palavra de Deus no Grupo de Oração

7º Encontro: Pregação Inspirada – Ciclo Carismático

8º Encontro: Lectio Divina

Apostila 2 – A Palavra e a Pregação – Roteirização

9º Encontro: A História que a Bíblia Conta

10º Encontro: Critérios para Ler a Bíblia

11º Encontro: Delimitação Textual

12º Encontro: Segmentação Textual

13º Encontro: Gêneros Literários

14º Encontro: Roteiro de Pregação a partir do Tema (com exercício)

15º Encontro: Exercício de Retomada do Roteiro a partir do Tema

16º Encontro: Roteiro de Pregação a partir da Análise Narrativa (com exercício)

17º Encontro: Exercício de Retomada da Pregação a partir da Análise Narrativa

18º Encontro: Roteiro de Pregação a partir da Lectio Divina (com exercício)

19º Encontro: Exercício de Retomada da Pregação a partir da Lectio Divina

20º Encontro: StoryTelling na Pregação (Contação de Histórias)

21º Encontro: O Testemunho na Pregação

  • Se Formação Mensal, em final de semana, com encontros de 8 horas (ou sábado ou domingo):

Apostila 1 – O Ministério, O Pregador e a Pregação no Grupo de Oração

1º Encontro:

  • O Ministério

  • O Pilar do Ministério de Pregação

  • Chamado

  • A Oração Pessoal na Vida do Pregador

2º Encontro:

  • Personalidade a Serviço /Estilos de Pregação

  • Pregação Querigmática – O Anúncio da Palavra de Deus no Grupo de Oração

3º Encontro:

  • Os carismas na pregação (exercício)

  • Pregação Inspirada – Ciclo Carismático (exercício)

  • Lectio Divina

Apostila 2 – A Palavra e a Pregação – Roteirização

4º Encontro:

  • A História que a Bíblia Conta

  • Critérios para Ler a Bíblia

  • Delimitação Textual

  • Segmentação Textual

5º Encontro:

  • Roteiro de Pregação a partir do Tema (com exercício)

6º Encontro:

  • Gêneros Literários

  • Roteiro de Pregação a partir da Análise Narrativa (com exercício)

7º Encontro:

  • Roteiro de Pregação a partir da Lectio Divina (com exercício)

8º Encontro:

  • StoryTelling na Pregação (Contação de Histórias)

  • O Testemunho na Pregação

9º Encontro:

  • Retomada todos os Roteiros de Pregação (exercícios):

  • A partir do Tema;

  • A partir da Lectio Divina;

  • A partir da Análise Narrativa.

  • Se Formação Bimestral, em final de semana, com encontros de 12 horas (sábado e domingo até meio-dia):

Apostila 1 – O Ministério, O Pregador e a Pregação no Grupo de Oração

1º Encontro:

  • O Ministério

  • O Pilar do Ministério de Pregação

  • Chamado

  • Personalidade a Serviço /Estilos de Pregação

  • A Oração Pessoal na Vida do Pregador

2º Encontro:

  • Os carismas na pregação (exercício)

  • Pregação Querigmática – O Anúncio da Palavra de Deus no Grupo de Oração

  • Pregação Inspirada – Ciclo Carismático

  • Lectio Divina

Apostila 2 – A Palavra e a Pregação – Roteirização
3º Encontro:

  • A História que a Bíblia Conta

  • Critérios para Ler a Bíblia

  • Delimitação Textual

  • Segmentação Textual

5º Encontro:

  • Gêneros Literários

  • Roteiro de Pregação a partir da Análise Narrativa (com exercícios)

6º Encontro:

  • O Testemunho na Pregação

  • Roteiro de Pregação a partir do Tema (com exercícios)

7º Encontro:

  • StoryTelling na Pregação (Contação de Histórias)

  • Roteiro de Pregação a partir da Lectio Divina (com exercícios)

8º Encontro:

  • Retomada todos os Roteiros de Pregação (exercícios):

  • A partir do Tema;

  • A partir da Lectio Divina;

  • A partir da Análise Narrativa.

  • Se Formação Trimestral, em final de semana, com encontros de 12 horas (sábado e domingo até meio-dia):

Apostila 1 – O Ministério, O Pregador e a Pregação no Grupo de Oração

1º Encontro:

  • O Ministério

  • O Pilar do Ministério de Pregação

  • Chamado

  • Personalidade a Serviço /Estilos de Pregação

  • A Oração Pessoal na Vida do Pregador

2º Encontro:

  • Os carismas na pregação (exercício)

  • Pregação Querigmática – O Anúncio da Palavra de Deus no Grupo de Oração

  • Pregação Inspirada – Ciclo Carismático

  • Lectio Divina

Apostila 2 – A Palavra e a Pregação – Roteirização

3º Encontro:

  • A História que a Bíblia Conta

  • Critérios para Ler a Bíblia

  • Delimitação Textual

  • Segmentação Textual

5º Encontro:

  • Gêneros Literários

  • Roteiro de Pregação a partir da Análise Narrativa (com exercícios)

6º Encontro:

  • O Testemunho na Pregação

  • Roteiro de Pregação a partir do Tema (com exercícios)

7º Encontro:

  • StoryTelling na Pregação (Contação de Histórias)

  • Roteiro de Pregação a partir da Lectio Divina (com exercícios)

8º Encontro:

  • Retomada todos os Roteiros de Pregação (exercícios):

  • A partir do Tema;

  • A partir da Lectio Divina;

  • A partir da Análise Narrativa.

2.2-OUTRAS SUGESTÕES

2.2.1 – Ler e estudar o RCC responde n. 9(optar pelo atualizado, lançado no ENF 2017) e 11 que falam sobre o Ministério de Pregação;

2.2.2 – Ler os livros: O pegador ungido, o Pregador Ousado, Pregador Orante, Como Pregar e outros editados pela RCCBRASIL;

2.2.3 – Leitura Orante da Palavra de Deus

2.2.4 – Estudo Bíblico através de métodos de leitura, como por exemplo: a Bíblia no meu dia a dia.

2.2.5 – Incentivar o estudo do Catecismo da Igreja Católica, dando orientações práticas de como utilizá-lo;

2.2.6 – Incentivar a pesquisa no Magistério da Igreja, incentivando a leitura de documentos tais como: Verbum Domini, Dei Verbum, Evangelli Gaudium, Evangelli Nuntiandi, compêndio do Concílio Vaticano II,dentre outros

2.2.7 – Incentivar o estudo sobre Oratória Sacra, Retórica, Homilética, Apologética. (do latim tardio apologetĭcus, através do grego πολογητικός, por derivação de “apologia”, do grego απολογία: “defesa verbal”. É a disciplina teológica própria de uma certa religião que se propõe a demonstrar a verdade da própria doutrina, defendendo-a de teses contrárias)

2.2.8 – Incentivar um estudo sobre a História do Povo de Deus, chegando à História da Igreja.

2.2.9 – Acessar e seguir todas as redes de comunicação do Ministério de Pregação, portal da RCC Brasil, blog do MP, página no Facebook do MP da RCC Brasil e RCCRJ, twitter, youtube e demais que vierem a ser criadas.

2.2.10 – Participar dos cursos oferecidos pelo IEAD da RCCBRASIL.

Essas dicas podem ser implantadas através do pastoreio individual ou de pequenos grupos. Havendo necessidades, podem-se formatar encontros de finais de semana de vários desses temas para estudo.

3 – A MEDIÇÃO DO QUILATE – VIDA DE ORAÇÃO E INTIMIDADE DO PREGADOR

Um quilate é uma unidade de peso para diamantes e outras pedras preciosas. Um quilate é igual a 200 miligramas (0,200 grama, o que equivale a dizer que 1 grama = 5 quilates). Há 1.000 gramas em 1 quilograma (kg). São portanto 5.000 quilates por kg (se você pesa 70 kg, você tem 350.000 quilates).

Q uando se refere ao ouro, o quilate é uma unidade de pureza. Ouro 24 quilates é ouro puro. Geralmente, o ouro é misturado com metais como o cobre ou prata para fazer jóias, porque o ouro puro é muito mole. Cada quilate indica 1/24 do todo. Se uma jóia é feita de metal que tem 18 partes de ouro e 6 partes de cobre ela é de ouro 18 quilates.

O quilate do pregador pode ser medido! O valor será o de quanto ele ora, busca viver uma vida reta, do quanto ele se alimenta da Palavra e da Eucaristia, enfim, do quanto ele é íntimo de Deus.

  1. Promover encontros de oração e espiritualidade para os pregadores;

  2. Vivenciar momentos de escuta profética. O pregador precisa ser uma pedra bem lapidada no que diz respeito à escuta de Deus;

  3. Promover adorações com os pregadores etc.

4 – A EXPOSIÇÃO – O ATO DE PREGAR, ANUNCIAR, SER MISSIONÁRIO

Quando um diamante está pronto, de seu processo de lapidação, todos querem expô-lo para que seja admirado. Nós pregadores precisamos, e muito, passar pela lapidação da formação para que, mais aperfeiçoados, possamos irradiar a luz que vem da Palavra de Deus que passando por nós, reflete em pregações ungidas e eficazes na vida dos que nos ouvem a verdadeira luz: Jesus Cristo!

Nestes 50 anos de RCC, nossos grupos de oração necessitam urgentemente de pregações ungidas, que toquem profundamente e impactem o coração das pessoas, levando-as a amar Jesus ainda mais.

Trilhando este caminho: garimpo, lapidação, quilate e exposição, teremos grupos ornados de pedras preciosas que refletirão a luz forte da presença de Deus.

5 – CONCLUSÃO

Precisa-se de pregadores! Pregadores ungidos, ousados, orantes, disponíveis, obedientes, que atendam com carinho ao chamado feito pelo Senhor!

O Papa Francisco tem nos pedido um anúncio do Evangelho com o coração cheio de alegria!

Unidos, todos os pregadores da RCCRJ,queremos viver uma vida nova em Cristo e anunciar querigmaticamente este Jesus que nos acolhe,ama e salva! Glória a Deus!

Leandro Rabello Batista

Coordenador Estadual do Ministério de Pregação RCCRJ

Membro do Núcleo Nacional do Ministério de Pregação RCCBRASIL

Tel.: (22) 999756649 * leandrorabellorcc@yahoo.com.br

MAIS

CARTA AOS PREGADORES DA RCC DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – MÊS DE FEVEREIRO – “QUEM SOMOS E QUAL É NOSSA MISSÃO?”

Todo pregador, para ser, de fato, um bom pregador precisa, como João Batista, entender quem ele é e qual sua missão na vida. João Batista tinha clareza sobre quem ele era e qual era a sua missão. Ele era de uma família judaica tradicional. Seu pai era da classe sacerdotal. Em sua família, aprendeu que a lei era o caminho para a justificação. Todos esperavam que ele seguisse o caminho do pai, Zacarias, sendo um fiel cumpridor da lei à moda antiga. Porém, João os surpreendeu quando resolveu vestir-se de pele de camelo e morar no deserto. Sob este aspecto, João Batista “escandalizou” as pessoas que esperavam dele um comportamento tradicional. Contudo, ele tinha clareza sobre quem era e qual era sua missão, derivando daí a sua coragem de cumpri-la até o fim. João sabia com toda a certeza que ele seria “uma voz” que tinha vindo para preparar o caminho para o Messias, ele tinha vindo para dar testemunho da luz, Jesus Cristo, a verdadeira luz que vindo ao mundo ilumina todos os homens.

Todo grande homem e mulher na história da Igreja, assim como no mundo secular é uma pessoa que tem profunda consciência de quem é. Esta pessoa tem convicção a respeito de sua missão na vida. Ela não se deixa confundir.

A missão de cada um de nós, enquanto batizados, é a mesma de João Batista, dar testemunho da luz e preparar o caminho através da pregação da Palavra, tendo zelo com o ministério que nos foi confiado, cuidando de nossa família ou de nosso trabalho, em tudo o que fazemos cada um no seu campo de ação, devemos preparar o caminho para que as pessoas tenham um encontro pessoal com Jesus.

Compreender isso é essencial. Muitos, infelizmente, por não terem entendido sua missão e seu lugar, ainda anseiam pelos palcos, holofotes, muitas vezes até com boa intenção, porém acabam divulgando mais a si mesmos que ao Senhor.

Corremos, com isso, o risco de tirar o foco do essencial e ficar no acessório. Todo o que luta pelo Reino de Deus na Terra deve dizer como João Batista:

“QUE ELE CRESÇA E EU DIMINUA.”

Em um versículo antes deste, João vai dizer: “Nisso consiste a minha alegria, que agora se completa” (Jo 3,29). A grande alegria do servo, daquele que coordena, prega, é deixar as marcas de Jesus na vida das pessoas, é refletir a luz de Jesus para as pessoas para que a vida delas também seja iluminada, sempre com muita clareza de que nenhum de nós tem luz própria para refletir, só o reflexo da luz de Deus em nós pode realmente tocar a vida e o coração das pessoas.

Em nosso tempo, existe uma grande necessidade por parte da humanidade em PROVAR QUE É ALGUÉM e em TER. Uma necessidade de expor (para todos verem) o que fez , o que comprou, onde pregou, para onde viajou… Tudo isso para provar que é alguém importante. Ao olhar este aspecto, é perceptível a constatação de tantas pessoas deprimidas, enchendo consultórios psiquiátricos, pois quando não conseguem ser o que sonharam, ou possuir o que queriam, frustram-se, sentem-se vazias, aflitas… Essa necessidade contínua de provar algo a si mesmo e aos outros pesa como fardo na mente e nos corações das pessoas. Jesus disse: “Vinde a mim, vós todos que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei. Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas. Porque meu jugo é suave e meu peso é leve” (Mt 11,28-30).

João Batista entendeu bem isto, não quis as glórias para si, virou o holofote para Jesus. Exaltou, colocou no palco a pessoa certa! João entendeu que viera apenas para preparar o caminho. Por isso, quando soube que Jesus chegara e iniciara sua missão, ele prontamente disse: “É preciso que Ele cresça e eu diminua”. A curta vida de João Batista foi toda dirigida e totalmente consumida para anunciar a vinda de Jesus. Ele entendeu que seu chamado era para fazer o que Deus queria: Preparar o caminho!

Desde o ventre de Isabel, João Batista era cheio do Espírito! Quando Maria a saúda ele estremece, tal é a manifestação poderosa do Santo Espírito em sua vida! E, por ser cheio do Espírito, João foi sempre fiel ao seu ministério! Ele nunca desanimou! Nunca desistiu. João soube bem qual era seu lugar no Reino de Deus. Em nenhum momento a sombra da vaidade ou orgulho tomou conta de seu ser, ele sempre submeteu a sua vontade à vontade de Deus.

Hoje, através dessa carta, somos convidados a fazer como João: deixar Jesus crescer em nós, caminhar de acordo com os preceitos da nossa vocação e controlar nossas atitudes em relação aos nossos irmãos e irmãs em Cristo, perdoando-os, acolhendo-os e colocando aos pés de Jesus qualquer sentimento de rebeldia, de inveja, ciúme, confusão, todo e qualquer mau pensamento e mau sentimento. Façamos como Jesus: passemos pelo mundo fazendo o bem, sejamos conduzidos pelo amor, sendo, em tudo, conscientes de nossa missão, mansos e humildes diante de Deus e diante dos outros.

Se focarmos nestes três pontos: consciência de quem somos e sobre a nossa missão, imitação da humildade de Jesus e na imitação da mansidão de Jesus, certamente Jesus vai crescer e nós, com o nosso ego e nossas vaidades, vamos diminuir. Que Ele cresça e nós diminuamos!

LEANDRO RABELLO
COORDENADOR ESTADUAL DO MINISTÉRIO DE PREGAÇÃO RCCRJ

MAIS

CARTA AOS PREGADORES DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MÊS DE JANEIRO/2017 “VIDA LONGA AOS (PREGADORES) CARISMÁTICOS”

O saudoso e amado Papa São João Paulo II disse em 1985, num encontro com lideranças da RCC: “Vida longa aos carismáticos”. Este desejo do Santo padre se deve ao grande benefício que o surgimento da RCC trouxe para a vida de muitos na Igreja. Muitas conversões, pessoas buscando mais a Eucaristia, a Palavra de Deus, amando mais Nossa Senhora…

Tomo a liberdade de adaptar (acrescentar) uma palavra a esta fala do João de Deus. Se o desejo dele era que tivéssemos vida longa, isto se estende a todos os serviços, carismas, moções etc. inerentes à vida carismática. Como nesta carta, nossa reflexão tem como alvo a pessoa do pregador, adapto (de maneira até audaciosa) a palavra PREGADOR, à fala do Santo Padre! Sim! Acredito que também é desejo de João Paulo II que nós pregadores tenhamos vida longa. Pensando nisto, fiz-me a seguinte pergunta: O que gera vida longa em um pregador? De maneira ainda mais audaciosa, arrisco-me a elencar três elementos que geram esta vida longa e plena no pregador:

1-CHAMADO DE DEUS
Não adianta desejar vida longa, servindo como pregador, se não formos, antes de tudo, chamados pelo Senhor para assim servir. Este chamado Ele o faz a quem escolhe por amor e no amor. A missão de pregar gerará em nós vida longa se o entendermos e aceitarmos. Quando ouvimos no coração esta vontade Dele e correspondemos com um sim diário e sincero, atuaremos por longos anos como arauto da Palavra do Senhor, neste mundo tão necessitado dela.

2-VIDA DE INTIMIDADE COM DEUS NA ORAÇÃO
A vida é mantida dentre outras coisas pelo alimento. Faz 2500 anos que Hipócrates, o pai da medicina, proferiu a seguinte afirmativa: “Somos o que comemos”. Refletindo nisto, com visão espiritual, entendemos que, para ter vida, e vida longa, o pregador deve se alimentar cotidianamente com a oração, Palavra de Deus e, se possível, com Eucaristia diária. Em contraste a essa vida longa desejada por João Paulo II será a vida “curta”, gerada pela falta de oração, de intimidade com a Palavra… Não há outra alternativa para o pregador ter vida longa.A conta é fácil de efetuar: Tem vida de oração e intimidade com a Palavra, tem vida longa.

3-ANSEIO CONSTANTE POR FORMAÇÃO
Retomo uma afirmativa do Papa Francisco, na Evangelii Gaudium 145: “Um pregador que não se prepara não é espiritual: é desonesto e irresponsável quanto aos dons que recebeu.” Nela, Francisco nos lembra que, para ter vida longa como pregador,é preciso ansiosamente desejar formação para que saibamos nos preparar bem. É muito eficaz que o pregador esteja constantemente estudando, formando-se, participando dos encontros oferecidos pelo ministério de Pregação. Como disse o Papa, não podemos ser desonestos, nem irresponsáveis para com este ministério tão importante para os grupos de oração.

Já faz algum tempo que nosso querido João Paulo II expressou este desejo de vida longa a todos nós, os carismáticos. Adaptei este texto refletindo-o na vida do pregador, de sua missão, de sua importância no mundo. Confesso acreditar que se é desejo de João Paulo II também é um grande desejo de Jesus.

Que em 2017 todos nós pregadores ouçamos no coração o verdadeiro chamado de Deus, que O busquemos em oração e na sua Palavra e que correspondamos com fidelidade ao seu chamado, buscando formação e através dela um grande amadurecimento e avanço em nossa missão como pregador neste mundo de vidas curtas, de tempo curto, de perseverança mais curta ainda! Vida longa ao anúncio destemido da Palavra de Deus! Vida longa aos pregadores!

Leandro Rabello
Coordenador Estadual do Ministério de Pregação RCCRJ

MAIS

CARTA AOS PREGADORES DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: “A BELEZA, A SABEDORIA E A RIQUEZA DO TEMPO!”

Há tempos que o homem decidiu medir o tempo. Definiu que o minuto teria 60 segundos, que a hora teria 60 minutos, o dia 24 horas, o ano 12 meses… O tempo assumiu limitações impostas pelo homem! Mesmo com toda influência humana, é Deus quem comanda este tempo, embora não viva nele, mas na Eternidade.

Sem dúvida, o tempo é um grande mestre que nos ensina a viver sob a Vontade terníssima do Criador. Para quem é atento às moções do Senhor, ele torna-se BELO, SÁBIO e RICO.

Jesus ficou em oração 40 dias no deserto (cf.Lc 4,2); passou uma noite inteira em oração antes de escolher os Apóstolos (cf.Lc 6,12); experimenta o sepulcro por três dias (cf. Lc 23,53)e… RESSUSCITA! Ele também entendeu o tempo!Deu a ele (o tempo) beleza,sabedoria e riqueza.

A BELEZA é o que encanta, alegra e suaviza. O ser humano é o próprio agente que perfaz esta característica do tempo. Dependendo de como se encara os revezes da vida, o tempo pode tornar-se flores que enfeitam o jardim da vida. Como assim? Sabendo fazer de cada minuto um instrumento de beleza para Deus!

A SABEDORIA é comparada aqui a um belo troféu que se ganha no final da corrida. Ela coroará aqueles que perseverarem durante a caminhada, embora ela seja muito difícil.

A RIQUEZA é a herança que o Pai celeste concederá aos que fizerem do tempo que lhe foi proposto uma fiel escuta de Sua Vontade.

Reflita: “Neste tempo, por que o Senhor me chamou a pregar?” A pregar no Grupo de Oração? Nas casas? Na Diocese? Independente da resposta, faça deste tempo um grande presente para o Senhor que nos presenteou com a vida. Faça tudo que puder. Faça o melhor! Mesmo que te custe muito: lágrimas, dor, aborrecimentos, disponibilidade, DOE SEU TEMPO! Faça dele sua dedicação mais total, mais plena, mas bela, mais sábia para que no fim se torne a mais rica!Contemple e vivencie a beleza do chamado a pregar. Ainda para os que, além de pregar, exercem algum tipo de liderança,não se esqueça de uma coisa muito importante: Seu tempo vai passar… Alguém virá depois de você! A coordenação qual o Senhor nos confiou neste tempo não é eterna! Um dia ela acaba… E quando chegar este dia, e olharmos para trás e ver o que fizemos (ou não) como será nosso pensamento? Feliz? Realizado? Ou Frustrado? DEPENDE DE VOCÊ! DEPENDE DE CADA UM DE NÓS! Desperte para isso! Ainda há tempo! O Senhor muitas vezes inicia seu projeto quando nós chegamos ao limite de nossas capacidades. Seu relógio inicia o funcionamento quando o do homem já não é capaz de ir mais adiante. Como quer ser lembrado no futuro? O que quer que falem de você, quando se lembrarem do tempo em que pregou,que coordenou? Assim como os egípcios tiveram que erguer mausoléus para serem lembrados, não queiramos nós fazer o mesmo. Eles não souberam viver a vida em plenitude enquanto nós a buscamos no Espírito. Lembro aqui de Moisés, que viveu seus primeiros 40 anos de vida no palácio do Faraó, com todas as regalias próprias de um príncipe do Egito, depois,fugindo para o deserto vive os medianos 40 anos no marasmo e secura do deserto e finalmente quando resolve “ir além do deserto”, encontra-se com o Senhor na sarça ardente e tem aí o início de seus últimos 40 anos de vida e também seu tempo mais rico e fecundo já que cumpriu com a missão dada pelo Senhor (cf. Ex 3).

Como temos usado o tempo rico, forte e sábio que o Senhor colocou como missão para nós pregadores?

Leandro Rabello
Coord. Estadual do Ministério de Pregação RCCRJ

MAIS

CARTA AOS PREGADORES DA RCCRJ – MÊS DE NOVEMBRO: CONHECIDO OU AMIGO ÍNTIMO?

O relacionamento humano é um dos grandes desafios nos dias hodiernos. Este fato é comprovado pelos ataques no oriente, pela falta de diálogo mundial, familiar etc. Relação humana implica respeito, cumplicidade, companheirismo e isto está distante da humanidade atual, infelizmente.

O relacionamento com Deus requer intimidade na oração, único meio eficaz¹ na relação humano-Divino-humano. Sendo o Espírito Santo uma Pessoa, devemos nos relacionar com Ele de uma maneira muito pessoal. Dialogar intimamente e, por conseguinte agir conforme Sua moção, já que Ele é Deus com o Pai e o Filho. Portanto, para sustentar a Efusão do Espírito Santo, é preciso aprofundar a transcendência de Deus o que nos leva à imanência da fé.

É muito importante ter conhecimento, formação, principalmente no aspecto religioso. Constantemente somos chamados a dar razão da nossa fé ², neste mundo tão descrente e materialista. Enquanto movimento pentecostal católico,precisamos ir além do conhecimento e buscar, com o mesmo anseio, a experiência com Deus. Não é enaltecer o conhecimento teológico ou ainda exaltar a experiência, ambos devem caminhar lado a lado nos levando em direção ao céu. O ideal é que o conhecimento gere a experiência e a experiência incentive a busca do conhecimento. Isso é ser carismático! Deus quer estar presente no nosso conhecimento e no nosso amor.

A presença do Espírito Santo em nós não é apenas uma locação temporal, mas a continuidade da experiência de Deus. É a experiência aqui e agora na expectativa do céu. Clamamos “Vem Espírito Santo!” porque Ele está continuamente com anseio do nosso coração.

A tarefa do Espírito Santo é revelar Jesus, dar consciência do pecado³, já que sem o Espírito Santo não há Evangelização 4.  O Espírito é promessa cumprida:em Atos 1 Deus O promete, em Atos 2 Ele cumpre a promessa. Glória a Deus! O que realmente identifica a Renovação Carismática Católica não é o sentimentalismo dos “aleluias”, “braços levantados” etc. , mas a experiência de intimidade com o Santo Espírito. É uma entrega total a Ele. Você pode até TER o Espírito Santo mas… e Ele,…TE TEM? Não basta só ser habitado, mas guiado por Ele… ter a sabedoria, a visão espiritual de que revela a Escritura 5 , a força prometida por Deus para suportar afrontas por causa do nome de Jesus,até o martírio. A Igreja pede que você VIVA o Espírito Santo 6 . Essa efusão é necessária como capacitação para a missão. Todo cristão já tem o Espírito Santo, mas isso não quer dizer que O aderiram. É o que acontece com os que são batizados mas não optaram posteriormente por Jesus e não O seguem 7.

Viver a vida No Espírito Santo é uma Graça própria de todo despertar espiritual. Essa intimidade nos levará à santidade. Não é por que temos carismas que somos santos, mas porque o Espírito Santo age em nós, através dos carismas, em serviço ao outro, é que vamos nos santificar, e essa é a vontade de Deus a nossa santificação8 . Não sou melhor por estar cheio do Espírito Santo, sou cheio a partir do momento em que me abro mais, o que me torna melhor “PARA” o outro. Muitos conhecem muito sobre o Espírito Santo mas de poucos Ele é amigo íntimo. O pregador deve ser um amigo íntimo do Espírito Santo para saber o que Ele quer dizer em cada pregação.

Não podemos e não queremos apenas ser pneumatólogos, mas experimentar a vivência cotidiana da efusão do Espírito Santo em dias tão difíceis…

…ser rosto íntimo de Pentecostes!

Leandro Rabello
Coord.Estadual do Ministério de Pregação RCCRJ

 

¹ cf. Catec. 2565
² cf.I Pd 3,15b
³ cf.Divinum Illud Munus
4 cf. Evangelii Nuntiandi
5 cf. Ef 1,15
cf. Dominum et Vivificantem
7 cf. Dom Estevão Bittencourt
8 cf. I Tes 4,3

MAIS

CARTA AOS PREGADORES DA RCCRJ MÊS DE OUTUBRO: “PREGADOR A PARTIR DO SACRÁRIO”

Iluminado pela luz avermelhada do sacrário, respira o pregador!  A luz que o envolve é a inspiração de sua alma! Uma luz que não ilumina somente seu corpo, mas todo seu ser! Ali,em silêncio ele escuta,fala,anota,chora, penitencia-se… Sabe que ali é seu lugar!  Dali sugará toda sabedoria e força necessária para anunciar Jesus!Ali, sua vida não é mais a mesma… Seus pensamentos se esvaem, sua força revigora, sua alma resplandece… É o seu habitat! O lugar de onde tudo se inicia e onde tudo termina.

O pregador é um apaixonado por Jesus! Quer estar sempre com Ele! Ele é sua vida, inspiração e missão!

O Cardeal Maria Martini disse em uma de suas exortações: “O pregador não é aquele que dá alguns elementos doutrinais ou sociológicos, mas o que comunica e faz viver – através da palavra, do sacramento, da liturgia, da oração – da alegria da entrega confiada ao mistério de Cristo crucificado e ressuscitado”

Nesta dimensão do testemunho a partir da oração, principalmente da adoração, é que se fundamenta a vida de um pregador! Ele deve partir sempre do sacrário e para o sacrário voltar ao fim de seu anúncio!

Nesta carta, com a intenção de despertar o desejo de sermos pregadores adoradores, trago as reflexões de alguns grandes santos:

“Da Eucaristia nasce a força para viver a vida cristã e zelo para compartilhar a vida com os outros.”
– São João Paulo II

“A Eucaristia banha a alma atormentada em luz e amor. Então a alma aprecia estas palavras: “Venham todos vocês que estão doentes, eu vou restaurar sua saúde.”– Santa Bernadette Soubirous

“O tempo que você gasta com Jesus no Santíssimo Sacramento é o melhor momento que você vai gastar na terra. Cada momento que você passa com Jesus vai aprofundar a sua união com Ele, e vai ajudar trazer uma paz duradoura na terra.”– Santa Teresa de Calcutá

“Saibam também que provavelmente você vai ganhar mais com a oração de quinze minutos diante do Santíssimo Sacramento do que por todos os outros exercícios espirituais do dia. Nosso Senhor ouve as nossas orações em qualquer lugar, pois Ele fez a promessa: “Pedi e recebereis”, mas que Ele revelou aos seus servos que quem visitá-lo no Santíssimo Sacramento vai obter uma medida mais abundante da graça”. – Santo Afonso Maria de Ligório

“Esta é a verdade maravilhosa, meus queridos amigos: o Verbo, que se fez carne há dois mil anos, hoje está presente na Eucaristia”– São João Paulo II

“A Eucaristia está conectada com a paixão. Se Jesus não tivesse estabelecido a Eucaristia, teríamos esquecido a crucificação. Ela teria desaparecido no passado, teríamos nos esquecido que Jesus nos amou. Existe um ditado que diz: longe dos olhos, longe do coração. Para se certificar de que sua paixão não seria esquecida, Jesus nos deu a Eucaristia como memorial do seu amor… Quando você olha para o crucifixo, entende como Jesus amou você, então, quando você olha para a Sagrada Eucarística você entende o quanto Jesus ama você agora.”– Santa Teresa de Calcutá

“Eu encorajo os cristãos regularmente a visitar o Cristo presente no Santíssimo Sacramento, pois todos somos chamados a permanecer na presença de Deus.”– São João Paulo II

Concluindo, exorto a todos os pregadores da Renovação Carismática Católica do Estado do Rio de Janeiro: Não saiamos de perto do sacrário! Deixemos sua luz nos iluminar e inspirar! Lembre-se: a luz do Santíssimo Sacramento não se apaga nunca!

Leandro Rabello

Coord. Estadual do Ministério de Pregação RCCRJ

MAIS